Base de Bolsonaro articula derrubada da prisão de Daniel Silveira na Câmara

Base de Bolsonaro articula derrubada da prisão de Daniel Silveira na Câmara

Coluna do Diego Lagedo: Parlamentares da base do presidente Jair Bolsonaro e lideranças do Centrão articulam a derrubada da prisão do deputado Daniel Silveira na votação que acontecerá no plenário da Câmara. Apesar de muitos deputados considerarem que o parlamentar se excedeu, eles ainda defendem que não é o caso para prisão, já que isso abriria um precedente contra falas de outros deputados e enfraqueceria a Câmara. A prisão, decretada monocraticamente pelo ministro Alexandre de Moraes, foi confirmada por unanimidade no plenário do STF, o que colocou um peso a mais na decisão de Câmara, que tem a prerrogativa constitucional de manter ou não a prisão dos seus parlamentares. A estratégia dos deputados é não bater de frente com os ministros do STF, mas articular uma solução que desfaça a prisão e estabeleça uma punição para o deputado, que poderia ser a suspensão do mandato por alguns meses. A deputada Carla Zambelli definiu perfeitamente a estratégia da base do Governo: “Vamos agir institucionalmente e buscar apoio no plenário”. Já o STF prevê que, mesmo que a Câmara derrube a prisão, o deputado ficará inelegível em 2022 devido à ação apresentada pela PGR contra Daniel. A votação do caso pode inciar um rearranjo de forças na Praça dos Três Poderes, com uma imposição maior do Poder Legislativo em consonância com o Executivo Federal. Aguardemos as cenas dos próximos capítulos.


PSB: O Partido Socialista Brasileiro ajuizou no STF uma Ação Direta de Inconstitucionalidade. contra quatro decretos da Presidência da República que flexibilizam as regras para aquisição e porte de armas de fogo. Será que os parlamentares do PSB vão abrir mão dos seus seguranças armados?


Raul Henry: O deputado federal e eterno jarbista, Raul Henry (MDB), criticou a gestão do Governo Bolsonaro no combate à pandemia. Entretanto, o deputado descartou a possibilidade de um impeachment do presidente, tendo em vista que não há mobilização nacional que viabilize o processo.


Diego Lagedo é historiador e especialista em Gestão Pública. A sua coluna aborda temas políticos e é publicada de segunda a sábado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Instagram