Prefeitos recorrem à União por falta de investimentos do Governo de Pernambuco

Prefeitos recorrem à União por falta de investimentos do Governo de Pernambuco

Coluna do Diego Lagedo: Os prefeitos de Ipojuca, Jaboatão dos Guararapes e Petrolina tem recorrido à ajuda do Governo Federal para conseguir atrair recursos para obras nos seus municípios.

A situação mais dramática é a da Prefeitura de Ipojuca, que busca recursos para conseguir realizar obras de saneamento na praia de Porto de Galinhas. Porém, a Compesa informou ao município que não tem verba e que as obras estão previstas para começar apenas em 2022. Diante disso, a prefeita Célia Sales teve que buscar os ministérios do Turismo e do Meio Ambiente para apresentar um projeto de R$ 50 milhões para que a praia mais badalada de Pernambuco tenha saneame básico.

Em Petrolina, o prefeito Miguel Coelho tem recorrido à captação de recursos federais para conseguir dar andamento a uma série de obras no município. Recentemente, o prefeito esteve reunido com o então Ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, para tratar da construção de um complexo esportivo em Petrolina. Antes disso, também esteve com o presidente da Caixa Econômica Federal para tratar da liberação de recursos para saneamento. No mesmo dia, ele esteve com o presidente da Codevasf para tratar da construção da Orla 3, duplicação da Transnordestina e pavimentação de 250 vias do município, além de ter se reunido com um diretor do MEC para tratar de recursos federais que vão garantir até o próximo ano a construção de seis creches de alto padrão e seis escolas municipais.

O prefeito do Jaboatão dos Guararapes irá receber o presidente do BNDES, Gustavo Henrique Montezano, no Complexo Administrativo do município para tratar da Parceria Público-Privada da iluminação pública que irá instalar lâmpadas de LED em todo o município até 2022.

Já os municípios de Belo Jardim e Bezerros precisaram da articulação do ex-ministro Mendonça Filho em Brasília para que o Ministério da Saúde lhes enviasse respiradores hospitalares.

Essa romaria a Brasília para tentar atrair verbas e emendas parlamentares tem se repetido em diversos outros municípios do estado. Além do motivo óbvio de a União ser grande concentradora dos recursos públicos, há um outro motivo para isso estar acontecendo: o Estado de Pernambuco não está investindo nos municípios.

Segundo um importante observador da política pernambucana, o Governo de Pernambuco está investindo a maior parte dos seus recursos na Prefeitura do Recife, para que ela sirva de vitrine para as eleições de 2022. Enquanto isso, os prefeitos do interior estão desesperados sem recursos durante a pandemia. Ele afirma que não tem chegado nenhum investimento estadual em seu município há anos e que isso tem se repetido nas outras cidades.

Enquanto a máquina pública do Governo do Estado e da Prefeitura do Recife estiver voltada apenas para fortalecer projetos eleitorais, Pernambuco seguirá na vanguarda do atraso.


Diego Lagedo é historiador e especialista em Gestão Pública. A sua coluna aborda temas políticos e é publicada de segunda a sábado.

Foto: reprodução/Facebook

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Instagram