Prefeitura do Recife fez caixa de R$ 123 milhões durante a pandemia

Prefeitura do Recife fez caixa de R$ 123 milhões durante a pandemia

Coluna do Diego Lagedo: A Prefeitura do Recife fez um caixa de R$ 123 milhões durante a pandemia de Covid-19. O que é anunciado como uma conquista pela gestão de João Campos (PSB) em relação ao último ano fiscal da gestão de Geraldo Julio (PSB), na verdade denota a insensibilidade das gestões socialistas na capital. Em 2020, muitas famílias recifenses passaram por dificuldades financeiras devido à crise econômica que acompanhou a pandemia. A Prefeitura do Recife não só não desonerou o povo e as empresas da pesada carga tributária cobrada no município, como também não utilizou todos os recursos arrecadados para amenizar o impacto da crise entre os recifenses. Fica constatado que a Prefeitura do Recife, na gestão de Geraldo Julio, não olhou para o povo durante a pandemia e a gestão de João Campos parece seguir a mesma linha.


Toque de Recolher: O Governo de Pernambuco decretou um toque de recolher para as atividades econômicas de todo o estado entre as 22h e as 5h. Para os 63 municípios das Gerências Regionais de Saúde (Geres) II, IV e IX, o horário de restrição é entre as 20h e as 5h, e entre as 17h e as 5h nos finais de semana. Apenas atividades essenciais poderão funcionar nesse período.


Bancada Evangélica: Parlamentares da Bancada Evangélica de Pernambuco querem que o Governo do Estado considere as atividades religiosas como essenciais. Eles alegam que o Governo Federal incluiu as atividades religiosas como serviços essenciais, mas o Governo de Pernambuco, amparado pelo STF para restringir ainda mais a quarentena, não considera o exercício da religião como essencial. Portanto, as práticas religiosas também estarão proibidas durante o novo toque de recolher.


André Ferreira: Conhecido por ser um parlamentar carismático e comedido, o deputado André Ferreira endureceu o tom contra o Governo Paulo Câmara. André criticou o Governo de Pernambuco por estabelecer decretos restritivos na pandemia, mas não ajudar os municípios na aplicação: “Deixou os prefeitos sozinhos, sem nenhum tipo de apoio. Quando ele quis fazer lockdown, ele queria que os prefeitos utilizassem os guardas municipais. Por que não enviou a PM que é de responsabilidade o Estado? Sou crítico a ele e acho que tem errado bastante e tem cobrado bastante do povo, sem dar retorno”. Ele também criticou o estado por não ter ajudado os hospitais de campanha dos municípios.


Oposição: O deputado André Ferreira, que é irmão de Anderson Ferreira, afirmou que a oposição está unida, dialogando e que deve apresentar uma única candidatura em 2022. Segundo André, esse nome pode ser o de Anderson Ferreira, Miguel Coelho ou de Raquel Lyra. Como todos são prefeitos de grandes capitais, o mais provável é que apenas um nome se renuncie ao mandato para disputar o Governo de Pernambuco.


Feitosa: O deputado Alberto Feitosa conseguiu aprovar por unanimidade na Alepe um voto de pesar pelo assassinato de um comerciante da cidade de Lajedo. O deputado estendeu esse voto de pesar a todas as 3.759 vítimas de homicídio em Pernambuco em 2020 e criticou o Governo do Estado por não combater de forma efetiva a crescente violência.


Diego Lagedo é historiador e especialista em Gestão Pública. A sua coluna aborda temas políticos e é publicada de segunda a sábado.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Instagram