Delegado pedirá indiciamento de Junior Matuto por suposto esquema em Paulista

Delegado pedirá indiciamento de Junior Matuto por suposto esquema em Paulista

Nesta terça-feira (06), a Polícia Civil de Pernambuco realizou uma operação que teve como alvos um empresário e ex-servidores do município. O delegado Diego Pinheiro da 2° DECCOR/DRACCO apontou que um empresário foi favorecido pela gestão de Junior Matuto (PSB) em uma licitação para exploração de uma marina no município.

Segundo a Polícia Civil, o ex-prefeito Junior Matuto teria sido beneficiado com obras em sua casa de praia em Maria Farinha, que teriam sido feitas pelo empresário vencedor da licitação, que é arquiteto.

As investigações foram iniciadas em Agosto de 2019 e tiveram suporte e assessoramento da DINTEL/CIIDS. Na execução da operação, participaram 40 policiais civis, entre delegados, agentes e escrivães.

Na operação, foram cumpridos cinco mandados de busca e apreensão domiciliar, além do sequestro de valores das contas bancárias investigadas.

Segundo o delegado Diego, o ex-prefeito Junior Matuto, alguns ex-servidores, o empresário e alguns funcionários dele devem ser indiciados pelos crimes de Falsificação de Documentos Públicos, Fraude em Licitação, Apropriação Indébita, Associação Criminosa e Corrupção ativa e passiva.

Breve Histórico

As investigações tiveram início em 08.2019, após Requisição da 2ª Promotoria de Justiça de Defesa da Cidadania do Paulista-PE, no intuito de apurar possíveis crimes de falsificação de documentos públicos, fraude em licitação, apropriação indébita, associação criminosa, corrupção ativa e passiva, supostamente praticados por um empresário e ex-servidores da Prefeitura do Paulista. Os fatos fazem referência a uma licitação para concessão de área pública, localizada à beira do rio da Praia de Maria Farinha, cujo objeto principal era a implantação de uma Marina.

Tendo em vista os fortes indícios da prática dos crimes acima mencionados, foram solicitadas medidas cautelares de busca e apreensão em endereços dos investigados, visando robustecer as investigações com outras provas, bem como o seqüestro de valores dos investigados, no intuito de ressarcir o erário. As investigações apontam fortes indícios que a Licitação foi direcionada, com a ingerência direta do Prefeito da época, para favorecer o empresário investigado, vindo este fazer uso de documentos falsos no Processo Licitatório, com o conhecimento e a conivência, na época, de servidores públicos da própria Prefeitura, bem como há indícios que o empresário investigado, que é o responsável pela marina, vem se apropriando dos valores das taxas que seriam destinadas ao Município do Paulista, pelo uso da área concedida.

Foto: Divulgação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Instagram