Governador errou em receber militante antes de ouvir Comandante da PM, diz Feitosa

Governador errou em receber militante antes de ouvir Comandante da PM, diz Feitosa

Após os confrontos entre Polícia Militar (PM) e manifestantes que protestavam contra Bolsonaro, no último sábado (29), no centro do Recife, o deputado estadual Alberto Feitosa se pronunciou quanto à condução do governador em relação ao caso. Além de reforçar que os militantes estavam indo contra o decreto do próprio Governador do Estado, que proíbe aglomerações, Feitosa corroborou o desrespeito à instituição militar, que estava a serviço do governo e cumprindo com o papel de manter a ordem pública.

O deputado citou, em especial, o desrespeito cometido pela vereadora Liana Cirne, que se aproveitou da condição de agente público para cometer o crime de abuso de autoridade, de acordo com a lei 13689/2019, que define como crime os abusos cometidos por agentes públicos, servidores ou não, no exercício de suas funções ou a pretexto de exercê-las. No caso da vereadora, ela cometeu a chamada “carteirada” para desacatar policiais em serviço. Mesmo contra a lei, a professora Liana foi recebida pelo governador Paulo Câmara, no Palácio do Campo das Princesas, e pousou para foto.

“É inadmissível e lamentável que o governador Paulo Câmara, na condição de comandante supremo da Polícia Militar de Pernambuco, tenha recebido a manifestante Liana Cirne, que estava descumprindo o seu decreto, desacatando a sua autoridade, principalmente para aceitar uma representação contra a sua tropa, mesmo depois de a manifestante ter desobedecido e desacatado policiais em serviço, desrespeitando uma das unidades operacionais mais tradicionais do estado e combatente do crime que é a Rádio Patrulha. Tudo isso antes mesmo de ouvir sequer o comandante da PM, bem como os policias envolvidos”, criticou.

Para finalizar, em defesa dos militares, o deputado indagou se, após os acontecimentos, o governador poderá exigir que os policiai executem seu trabalho com excelência, como subir os morros, combater o crime, arriscando suas vidas em defesa da sociedade. “Será que o Senhor não percebe, governador, que, ao enfraquecer a Polícia Militar, o Senhor enfraquece a si próprio, já que é o comandante em chefe dessa instituição?”, finalizou.

Foto: reprodução/Facebook.

Instagram