Bolsonaro pavimenta o caminho para a reeleição: “É a economia, estúpido”

Bolsonaro pavimenta o caminho para a reeleição: “É a economia, estúpido”

Coluna do Diego Lagedo: Em 1991, logo após a primeira Guerra do Golfo, 90% dos americanos aprovavam o Governo de George H. W. Bush. Já em agosto de 1992, 64% dos americanos passaram a rejeitar o Governo Bush.

Isso fez com que Bill Clinton, que concorria à Presidência naquele ano, quisesse criticar a guerra para atingir o seu adversário. Sabiamente, o seu marqueteiro, James Carville, colou um cartaz na sede da campanha de Clinton em que dizia “É a economia, estúpido” para mostrar que a impopularidade de Bush se devia à recessão econômica, não à guerra. Os outros dois pontos colocados no cartaz diziam respeito ao diapasão entre a mudança e o continuísmo e sobre a saúde pública.

No Brasil, o presidente Jair Bolsonaro estabeleceu a manutenção da economia durante a pandemia como uma prioridade tão grande quanto o combate à Covid-19. Como qualquer governante em tempos de crise global, o presidente foi muito cobrado e criticado pelos opositores, mas conseguiu segurar um percentual importante da sua popularidade e isso pode ser visto nas reuniões com os seus apoiadores.

Antes mesmo da pandemia acabar, a economia brasileira já se mostra plenamente recuperada, conforme dados oficiais e do mercado financeiro, e o PIB brasileiro deve crescer mais de 4% em 2021. Isso se deve às políticas adotadas pelo Governo Federal para manter a economia funcionando, como o auxílio emergencial e o Programa Emergencial de Manutenção do Emprego e da Renda. A única coisa que ainda segura a disparada da economia brasileira é a Pandemia, mas isso está perto de acabar.

No Brasil, o ritmo da vacinações se acelerou de uma maneira inimaginável nos últimos meses. Apenas em junho, o Governo Federal deve distribuir mais de 40 milhões de vacinas e o Ministério da Saúde estima que todas as pessoas com mais de 18 anos devem estar vacinadas até dezembro desse ano.

Economia e saúde resolvidas, Bolsonaro entra em 2022 lançando um dilema que deve ser escolhido pelo povo: a continuidade do seu Governo ou a volta do PT.


Bolsonaro: O presidente Jair Bolsonaro realizou uma “motociata” em São Paulo que contou com a participação de milhares de apoiadores. Como sempre, a cobertura da maior parte da grande mídia procurou não mostrar a dimensão do ato, mas as imagens foram amplamente divulgadas nas redes sociais.

Maciel: A despedida do ex-vice-presidente da Marco Maciel contou com mensagens de diversos políticos pernambucanos e de outros estados que destacaram a sua trajetória de sucesso na política. O presidente Jair Bolsonaro decretou luto oficial de dias no Brasil.

André Ferreira: O deputado André Ferreira (PSC) voltou a visitar Gravatá para visitar o terreno onde será construído o prédio do CREAS, fruto de suas emendas. “Tenho atuado em Brasília para fazer com que Gravatá retome o caminho do desenvolvimento”, afirmou André Ferreira.

Erick Lessa: O deputado Erick Lessa (PP) solicitou a ampliação da vacinação com o imunizante da Janssen para os municípios de Santa Cruz do Capibaribe e Toritama. O Governo de Pernambuco destinou as vacinas apenas para Caruaru, Garanhuns e para o Sertão.


Diego Lagedo é historiador e especialista em Gestão Pública. A sua coluna aborda temas políticos e é publicada de segunda a sábado.

Foto: Isac Nóbrega/PR.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Instagram