Oposição só deve definir nome para o Governo de Pernambuco em dezembro

Oposição só deve definir nome para o Governo de Pernambuco em dezembro

Coluna do Diego Lagedo: A definição do candidato que irá disputar o Governo de Pernambuco é um grande desafio para a oposição. O bloco peca por excesso e tem três bons nomes para 2022: Anderson Ferreira (PL), Miguel Coelho (MDB)e Raquel Lyra (PSDB).

O problema é que todos os três pré-candidatos da oposição pernambucana estão mais ou menos no mesmo patamar, o que dificulta o processo de escolha. O fato de serem três nomes também pode atrapalhar a oposição, tendo em vista que dois podem se unir contra um terceiro que esteja se destacando.

Inicialmente, a definição do candidato da oposição estava prevista para outubro, mas teve que ser adiada para dezembro, tendo em vista que o cenário ainda não estava definido e que nenhum dos três pré-candidatos havia recuado.

A preocupação dos líderes oposicionistas do estado é que a escolha seja feita ainda em 2021, pois deixar a definição para 2022 pode diminuir a competitividade do candidato. O fato é que o tempo está passando e essa escolha precisa ser feita com urgência.


André Ferreira: O presidente Jair Bolsonaro sancionou um projeto de lei de autoria do deputado André Ferreira (PSC) que estabelece descontos na conta de luz para famílias de baixa renda. O projeto concede descontos que variam de 10% a 65% a famílias que consomem até 220 kw/h. Com a nova medida, 12 milhões de famílias serão beneficiadas no Brasil.

Antonio Coelho: O deputado Antonio Coelho (DEM) anunciou a filiação do vice-prefeito de Barreiros, João Marreca Filho, ao Democratas. Na ocasião, o gestor municipal afirmou que estará presente na filiação de Miguel Coelho ao DEM no próximo dia 25 e manifestou sua oposição ao governo do PSB em Pernambuco.

Jair Bolsonaro: O presidente Jair Bolsonaro lançou um programa habitacional que irá beneficiar Policiais civis, militares, federais e rodoviários, além de bombeiros, agentes penitenciários, peritos e guardas municipais. A princípio, serão destinados R$ 100 milhões para financiar até 100% do valor dos imóveis, contando com subsídios de até R$ 13 mil, provenientes do Fundo Nacional de Segurança Pública (FNSP).


Diego Lagedo é historiador e especialista em Gestão Pública. A sua coluna aborda temas políticos e é publicada de segunda a sábadosendo replicada em diversos blogs de Pernambuco.

Fotos: reprodução/Facebook.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Instagram