PP e PTB disputam a filiação de Bolsonaro para a eleição de 2022

PP e PTB disputam a filiação de Bolsonaro para a eleição de 2022

Coluna do Diego Lagedo: Nessa semana, o PP avançou nas negociações com o presidente Jair Bolsonaro para que ele se filie à legenda para disputar a eleição de 2022. O partido é comandado nacionalmente pelo senador Ciro Nogueira, que está licenciado para ocupar o importante cargo de Ministro da Casa Civil. Segundo o presidente interino do PP, André Fufuca, a chance de Bolsonaro se filiar ao partido é de 90% nesse momento. A condição exigida pelos líderes do partido é que Bolsonaro não interfira nas presidências dos diretórios estaduais.

Diante do avanço do PP, outro partido da base de Bolsonaro, o PTB de Roberto Jefferson, também foi a campo e entrou na briga pela filiação do presidente. A presidente interina do partido, Graciela Nienov, conversou com Bolsonaro e acredita que a chance dele se filiar ao seu partido é de 70%. Ela também aproveitou para alfinetar os seus concorrentes do PP ao afirmar que “Não há divisão alguma. Aqui não tem essa de ‘lá no Nordeste o povo do partido quer ir com o PT’. Aqui a gente está fechadinho com ele, 100%. Aqui é a casa conservadora, a casa dele“.

Por trás da briga pela filiação de Bolsonaro está toda a força que ele agregará ao seu partido em 2022. O PSL, partido pelo qual Bolsonaro disputou a Presidência da República, havia elegido apenas um deputado federal em 2014, mas conseguiu eleger 52 em 2018 com a força de Bolsonaro. Além de poder e influência,a eleição de deputados federais também agrega uma grande fatia do fundo partidário e tempo na propaganda eleitoral gratuita das eleições subsequentes.

Bolsonaro terá que escolher entre um partido grande com uma identidade diluída ou entre um partido menor que se adaptou para defender o seu projeto. A escolha do partido terá um grande impacto na eleição do próximo ano e precisa ser feira com sabedoria.


PP-PE: No Nordeste, a filiação de Bolsonaro ao PP modificaria completamente os quadros locais. O caso de Pernambuco é emblemático, pois o PP faz parte da Frente Popular mas tem muitos deputados ligados ao segmento evangélico, que é mais simpático a Bolsonaro. O presidente estadual do PP, Eduardo da Fonte, teria um grande desafio para harmonizar o seu projeto no estado com o palanque de Bolsonaro. Caso visse a deixar a coligação do PSB, que já está fragilizada, o PP seria um reforço de peso para a oposição no estado, pois conta com uma bancada de 11 deputados estaduais na Alepe.

PTB-PE: Comandado pelo Coronel Meira em Pernambuco, o PTB só terá o que comemorar caso o presidente Jair Bolsonaro se filie ao partido. Atualmente, o PTB conta basicamente com os mandatos remanescentes do período em que Armando Monteiro Neto comandava sigla. Porém, a nova direção do partido pensa alto e sonha com uma chapa majoritária para o Governo de Pernambuco, que pode ser encabeçada pelo próprio Coronel Meira ou pelo ministro Gilson Neto. Uma candidatura do presidente Jair Bolsonaro pelo partido traria um grande impulso para a sua chapa em 2022.

Insegurança: Em reunião plenária na Câmara do Recife, o vereador Alcides Cardoso (DEM) cobrou maior empenho do poder público no combate à criminalidade na capital do estado. “Venho mais uma vez cobrar segurança para o Recife. É uma vergonha que uma cidade turística não possa receber turistas”, cobrou Alcides. O vereador também defendeu a participação da Guarda Municipal na segurança pública da capital, cobrando o armamento dos seus quadros.


Diego Lagedo é historiador e especialista em Gestão Pública. A sua coluna aborda temas políticos e é publicada de segunda a sábadosendo replicada em diversos blogs de Pernambuco.

Foto: Alan Santos/PR

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Instagram