Partido União Brasil será uma grande força de centro-direita no país

Partido União Brasil será uma grande força de centro-direita no país

Coluna do Diego Lagedo: Há muitos anos, o Brasil sofre com o problema da pulverização dos partidos políticos no Congresso Nacional. Além disso dificultar a governabilidade e fortalecer o famigerado “toma lá, dá cá”, também diminui a representatividade que os partidos têm perante os eleitores brasileiros.

Diante do contexto partidário do país e se adiantando às novas legislações eleitorais que impõem cláusulas de desempenho para os partidos, o PSL e o Democratas resolveram se fundir para criar aquele que deve ser o maior partido do Brasil.

A princípio, os dirigentes do novo partido, que se chamará União Brasil, esperam contar com 81 deputados federais, o que irá garantir uma grande fatia do fundo partidário e do tempo na propaganda eleitoral gratuita. Esse número pode variar para menos na fusão, mas os dirigentes esperam que aumente na janela partidária do próximo ano, uma flutuação normal nesse tipo de processo.

O posicionamento do novo partido em 2022 ainda não está definido, com o seu futuro presidente, Luciano Bivar, afirmando que o União Brasil pode lançar candidatura própria ou apoiar o projeto de outro partido. Mas as diretrizes já divulgadas demonstram que a nova sigla irá defender princípios democráticos, valores conservadores e direitos fundamentais no país, o que é positivo para a política brasileira.

Nos anos 2000, o então presidente Lula se gabou de que no Brasil só havia partidos de esquerda. Era uma época em que o único posicionamento ainda aceitável além da esquerda era o do centro. Naquele contexto, ele jurou extirpar o DEM do Brasil, pois era o partido que mais lhe fazia oposição. O DEM deixará de existir para dar lugar a um projeto maior, mas as forças que se opuseram ao petismo em seu auge continuarão vivas para defender o Brasil.


União Brasil: Os quatro princípios presentes no manifesto do União Brasil mostram que o partido terá foco na defesa da democracia e de valores conservadores como a liberdade e a família, mas sem fugir dos direitos fundamentais e sociais que estão enraizados na Constituição Federal. São eles: 1- O valor da Democracia como sistema político pautado pela tolerância, pluralidade, respeito e diálogo; 2- O valor do Estado como garantidor dos direitos sociais básicos da população; 3- O valor da Liberdade como condição para a busca de realização individual; 4- O valor da Família como esteio da pessoa e base da sociedade. Esses princípios se dividem em 44 diretrizes que mostram que o União Brasil será um partido de centro ou centro-direita.

Direção: O atual presidente do PSL, Luciano Bivar, será o presidente do União Brasil, enquanto ACM Neto será seu secretário-geral. Porém, essa divisão pode vir a favorecer Neto no futuro, tendo em vista que Bivar já tem 76 anos e deve se aposentar em alguns anos.

Mendonça: O ex-ministro da Educação, Mendonça Filho, continuará tendo um papel de destaque no novo partido que surgirá da união entre o DEM e o PFL. Mendonça garantiu a presidência da Fundação Índigo, que será a fundação nacional do partido, e também será um dos vice-presidentes.

FBC: O senador Fernando Bezerra Coelho (MDB) se reuniu com o ministro da Educação, Milton Ribeiro, para defender a criação do Instituto Federal do Agreste, que deve ser desmembrado do IFPE. O encontro contou com a presença do ex-ministro Mendonça Filho (DEM), que também defende o projeto.


Diego Lagedo é historiador e especialista em Gestão Pública. A sua coluna aborda temas políticos e é publicada de segunda a sábadosendo replicada em diversos blogs de Pernambuco.

Foto: divulgação.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Instagram