Capitania Hereditária: irmão de João Campos será candidato a deputado federal

Capitania Hereditária: irmão de João Campos será candidato a deputado federal

Coluna do Diego Lagedo: O prefeito do Recife, João Campos (PSB), confirmou ao Blog de Jamildo que o seu irmão mais novo, Pedro Campos, será candidato a deputado federal em 2022.

Com apenas 26 anos, Pedro Campos não tem atividade partidária consolidada, não é conhecido por liderar nenhum movimento social relevante e não se sabe que milite por alguma causa, mas é apontado pelo PSB como o grande puxador de votos em Pernambuco na eleição do próximo.

A única coisa que Pedro Campos terá para mostrar para o eleitor será a sua árvore genealógica: é filho de Eduardo Campos, neto de Ana Arraes e bisneto de Miguel Arraes. A fórmula deu certo com João Campos, com uma grande ajuda da estrutura partidária, e os socialistas esperam alcançar o mesmo resultado com o irmão mais novo.

Desde que Eduardo Campos era governador que os críticos de direita e de esquerda apontam que a sua família trata o estado como uma capitania hereditária. De lá para cá, pouco mudou, mas o PSB entrará na eleição de 2022 apresentando a maior fragilidade desde que assumiu o poder em 2006.

Ninguém tem dúvidas que Pedro Campos irá se eleger, mas é possível que ele não alcance a mesma votação expressiva que João Campos teve em 2018.


Denuncia: Os deputado estaduais Alberto Feitosa (PSC), Clarissa Tércio (PSC) e Joel da Harpa (PP) denunciaram o Governo Paulo Câmara na Comissão Interamericana dos Direitos Humanos. Os deputados apontaram que a exigência de esquema vacinal completo ou teste negativo de Covid-19 para servidores públicos nos locais de trabalho e fiéis em cerimônias religiosas viola princípios constitucionais e os direitos humanos.

Showmícios: O STF julgou improcedente uma ação do PT, PSB e PSOL que resultaria na volta dos showmícios no Brasil. Entretanto, a maioria dos ministros votou favoravelmente à realização de apresentações artísticas em locais fechados com a finalidade de arrecadar doações para campanhas. Alguns ministros se opuseram à prática e apontaram que será uma brecha para fraudes eleitorais e lavagem de dinheiro de doações ocultas, mas foram vencidos pela maiora.

Cobrança: O vereador Alcides Cardoso (DEM) cobrou explicações do prefeito do Recife, João Campos, quanto à destinação de R$ 4,3 milhões para a decoração de Natal. Alcides apontou que o valor é alto para uma cidade com carências e uma grande desigualdade social e cobrou que os gastos sejam detalhados pela Prefeitura.


Diego Lagedo é historiador e especialista em Gestão Pública. A sua coluna aborda temas políticos e é publicada de segunda a sábadosendo replicada em diversos blogs de Pernambuco.

Foto: Andréa Rêgo Barros/divulgação.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Instagram