Regulamentação das redes sociais defendida por Lula é censura velada

Regulamentação das redes sociais defendida por Lula é censura velada

Coluna do Diego Lagedo: Apesar de ter sido desaconselhado por aliados, Lula voltou a defender a “regulamentação” das redes sociais do Brasil em uma entrevista concedida na Europa. A ideia é antiga e já foi defendida outras vezes por líderes petistas, que também falam em “regulamentar” e “democratizar” os meios de comunicação como jornais e emissoras de rádio e televisão.

Dessa vez, Lula usou presidente Jair Bolsonaro para justificar a sua proposta, alegando que ele “conta cinco mentiras por dia nas redes sociais”. O petista afirmou que “uma coisa é você utilizar os meios de comunicação para informar, educar. Outra coisa é para fazer maldade, para contar mentiras, causar mal à sociedade”. Lula parece esquecer que os próprios petistas são responsáveis por uma grande parcela das informações falsas divulgadas na internet e que o presidente Jair Bolsonaro é, provavelmente, a maior vítima de fake news em todo o país.

Apesar do discurso milimetricamente ensaiado, não é segredo para ninguém que o verdadeiro objetivo dos petistas é calar as vozes contrárias a eles na internet, que são muitas. O líder petista mostra que a sua ânsia por censurar a sociedade brasileira está acima dos conselhos que ele recebe dos seus marqueteiros. Mais um grande motivo para a sociedade brasileira se preocupar.


Alckmin: Apesar dos seus trejeitos idiossincráticos, o Dr. Enéas Carneiro fez algumas observações sobre a sociedade brasileira que resistem à passagem do tempo. “PSDB, PT e qualquer “P” sempre estiveram juntos, é falsa a briga entre eles”, disse Enéas em seu guia eleitoral para Presidente da República. O fato de o ex-governador Geraldo Alckmin (PSDB) estar cogitando se filiar a outro partido para disputar a Vice-Presidência da República na chapa de Lula só mostra que Enéas estava absolutamente certo.

Miguel: Em suas redes sociais, o prefeito de Petrolina, Miguel Coelho (DEM), publicou uma mensagem que pode ter sido uma indireta para os demais pré-candidatos da oposição: “Ninguém pode participar de um projeto para Pernambuco pensando apenas no “eu”; É preciso pensar em “nós”. Um projeto que represente todas as pessoas”, disse Miguel.

STF: O ministro do STF Edson Fachin suspendeu os efeitos de uma lei de Rondônia que proíbe o ensino da “linguagem neutra” nas escolas sob a alegação de que a norma é discriminatória e desrespeita a liberdade de expressão. Os críticos da “linguagem neutra” afirmam que ela é prejudicial para o ensino da norma culta da língua portuguesa e que ela é fruto da ideologia de gênero.


Diego Lagedo é historiador e especialista em Gestão Pública. A sua coluna aborda temas políticos e é publicada de segunda a sábadosendo replicada em diversos blogs de Pernambuco.

Foto:ABr.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Instagram