CPI da Saúde é urgente em Pernambuco

CPI da Saúde é urgente em Pernambuco

Coluna do Diego Lagedo: A queda do teto da unidade de trauma do Hospital da Restauração foi apenas o ápice do descaso do Governo de Pernambuco com a saúde pública. Basta lembrar do Covidão que aconteceu durante a pandemia e do incêndio na UTI do Hospital Agamenon Magalhães para constatar que não é de hoje que o povo vem sofrendo com a saúde do estado.

Quem viu o vídeo do Hospital da Restauração sabe da situação angustiante que os pacientes e profissionais da saúde passaram. Pessoas entubadas tiveram que ser retiradas às pressas enquanto a água jorrava do teto da unidade, uma situação totalmente caótica que pode ter custado vidas.

Diante de um fato tão grave, o deputado estadual Coronel Alberto Feitosa (PL) apresentou um pedido de abertura de CPI da Saúde na Alepe. O bloco oposicionista já conta com 15 assinaturas e está em busca de mais duas, o que não parece impossível, tendo em vista que o PP está migrando para a oposição.

Já passou da hora de investigar o descaso com a saúde pública de Pernambuco e a CPI da Saúde precisa ser implementada com urgência.


Crítica: Autor do pedido de CPI da Saúde, o deputado Coronel Alberto Feitosa defendeu as investigações: “A saúde de Pernambuco está na UTI! Vemos quase todos os dias, nos mais diversos meios de comunicação, denúncias de precariedade em várias unidades de saúde, familiares nos procuram pedindo socorro, com pacientes em filas de cirurgia, precisando de exames, medicamentos e até curativos. É preciso investigar o que está de fato acontecendo e dar uma resposta a sociedade”.

Eleições: Em coletiva de imprensa, o deputado federal André de Paula (PSD) confirmou a sua pré-candidatura para senador. Ele também contou com o apoio e a presença do deputado federal Eduardo da Fonte (PP) para entrar na disputa. O ato praticamente sacramenta a sua saída da Frente Popular e o grupo se articula para compor com uma das chapas de oposição.

Brasil: O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP), afirmou que os números atuais mostram a queda do desemprego no Brasil: “A taxa de desocupação caiu para 11% no trimestre encerrado em janeiro deste ano, menor resultado para o período desde 2016, sendo que ainda temos 12 milhões de brasileiros à espera de um salário”.


Diego Lagedo é historiador e especialista em Gestão Pública. A sua coluna aborda temas políticos e é publicada de segunda a sábadosendo replicada em diversos blogs de Pernambuco.

Foto: divulgação.