Crescimento de Bolsonaro é imparável, para desespero dos petistas

Crescimento de Bolsonaro é imparável, para desespero dos petistas

Coluna do Diego Lagedo: Mesmo a contragosto, as últimas pesquisas eleitorais revelaram um crescimento progressivo e contínuo do presidente Jair Bolsonaro (PL) nos últimos meses. Em paralelo, quando Lula (PT) não está estagnado, sofre uma pequena queda no cenário eleitoral.

Esse crescimento de Bolsonaro tem uma motivação clara: à medida que a eleição se aproxima e o processo eleitoral vai se afunilando, com a saída do centro como opção, a tendência é que os eleitores que rejeitam o PT passem para o lado do atual presidente. Além disso, os programas sociais do Governo Federal já fazem um grande efeito na vidada cotidiana da população e ajudam a melhorar a avaliação da gestão do atual presidente.

Não fosse pela pandemia de Covid-19 que atingiu todo o mundo e desgastou praticamente todos os governantes em exercício, não seria surpresa se Bolsonaro já estivesse aparecendo em primeiro lugar nas pesquisas. Porém, deve-se esperar que ele alcance Lula até o início da campanha e que o passe após a veiculação das propagandas eleitorais.

Não é exagero dizer que será uma campanha de rejeições. De um lado, os eleitores que rejeitam a corrupção desenfreada que marcou os governos do PT, do outro, os eleitores que discordam dos valores conservadores e da forma de governar do presidente Jair Bolsonaro. Há uma divisão clara no país mas a história mostra que picos de antipetismo podem ocorrer com certa frequência, como ocorreram em 2013, no impeachment de Dilma e após a prisão de Lula, e a possibilidade de volta do PT pode ser o fator que irá desencadear a alta da rejeição.

De toda forma, Lula já mostrou que não tem capacidade de crescer mais dentro do processo eleitoral e mal consegue juntar a militância petista para lotar um evento, enquanto Bolsonaro vem crescendo de maneira imparável e com um grande engajamento nas ruas. Quem viver verá o resultado.


Eleições: O senador Fernando Bezerra Coelho (MDB) afastou a possibilidade do pré-candidato a governador de Pernambuco Miguel Coelho (UB) retirar sua candidatura para apoiar outro palanque no estado. A estratégia de Miguel é se colocar como uma alternativa clara de gestão e competência para chegar ao governo, enquanto rejeita a nacionalização do debate eleitoral. Com muitos palanques montados nos municípios, ele espera crescer nas pesquisas durante o período da campanha.

Crítica: A pré-candidata a governadora de Pernambuco Raquel Lyra (PSDB) foi a Camaragibe, onde foi recebida pelos vereadores Toninho, do PP, e Cabeça, do Cidadania. Na ocasião, Raquel afirmou que o pequeno empreendedor pernambucano precisa de crédito e ajuda, e não de perseguição, em uma clara crítica à gestão do PSB no estado.

Recife: Após o incêndio das palafitas no Pina, o vereador Alcides Cardoso denunciou que o orçamento para a implementação de projetos habitacionais da Prefeitura do Recife em 2022 caiu quase 60%, passando de R$ 24 milhões para R$ 10 milhões por determinação do prefeito João Campos (PSB). O vereador ainda afirmou que, do montante que restou, não foi gasto nenhum centavo neste ano com os projetos habitacionais.


Diego Lagedo é historiador e especialista em Gestão Pública. A sua coluna aborda temas políticos e é publicada de segunda a sábadosendo replicada em diversos blogs de Pernambuco.

Foto: reprodução/Facebook.