Força das ruas e êxito do Governo viabilizam reeleição de Bolsonaro

Força das ruas e êxito do Governo viabilizam reeleição de Bolsonaro

Coluna do Diego Lagedo: O período inicial da gestão do presidente Bolsonaro não foi fácil. Primeiro, ele teve que enfrentar o velho sistema que pretendia manter o loteamento do estado e até alguns supostos apoiadores foram seduzidos pelo poder e traíram o presidente no processo. Depois, veio a pandemia de COVID-19, catástrofe que atingiu o mundo todo e que exigiu grande habilidade do governo para manter a economia funcionando enquanto o contágio era combatido pelas gestões locais. Apesar dessas dificuldades, o país conseguiu sair bem da pandemia e o presidente Jair Bolsonaro (PL) chegará na disputa pela reeleição com a maior força que o seu governo já viu.

Isso se deve a importantes medidas que foram adotadas para auxiliar a população em tempos de crise. A principal delas foi o Auxílio Emergencial, que foi seguido pelo Auxílio Brasil. Com essa ajuda, muitas famílias que perderam seus empregos conseguiram sobreviver e não houve fome nem saques no país, apesar de algumas medidas draconianas que foram adotadas pelos governadores no combate à pandemia.

O sucesso do governo Bolsonaro é notório e pode ser constatado pelas suas andanças nas ruas do Brasil. Em todas as regiões que comparece, Bolsonaro faz aparições públicas em eventos abertos e é bem recebido por seus apoiadores. A contrário dele, o seu maior rival, o ex-presidente Lula, tem evitado ao máximo se mostrar a um público aberto e o legado de corrupção do PT permanece vivo na mente de muitos brasileiros.

Não vai ser surpresa para nenhum analista isento que Bolsonaro vença Lula na eleição desse ano e o cenário caminha para um embate extremamente acirrado. Será um choque de modelos civilizacionais que pode definir os rumos do Brasil pelas próximas décadas.


Diego Lagedo é historiador e especialista em Gestão Pública. A sua coluna aborda temas políticos e é publicada de segunda a sábadosendo replicada em diversos blogs de Pernambuco.

Foto: reprodução/Facebook.